BANDIDO MAIS PROCURADO NO ESTADO DO CEARÁ MORRE EM CONFRONTO COM A POLÍCIA NO RIO DE JANEIRO

BANDIDO MAIS PROCURADO NO ESTADO DO CEARÁ MORRE EM CONFRONTO COM A POLÍCIA NO RIO DE JANEIRO

O Criminoso que desafiou a Polícia do Ceará e criou sua própria facção, em Caucaia, Darlan Alban Batista Guerra, o “Dente de Ouro, foi morto em confronto com a polícia, na manhã desta sexta-feira 31 de julho de 2020, no bairro Gardênia Azul, na zona Oeste do Rio de Janeiro.

Foram quase três  anos de caçada policial no estado do Ceará, várias fugas mirabolantes, até que no começo da manhã desta sexta-feira (31), “Dente de Ouro o bandido considerado o mais procurado do Ceará acabou morto em mais um confronto com as forças de Segurança Pública do País.Ele foi, fundador e chefe de uma facção criminosa no estado e autor de dezenas de crimes de morte em Caucaia.

A operação policial que culminou na morte do criminoso cearense aconteceu no bairro  Gardênia Azul, na zona oeste do Rio de Janeiro, localizado na Baixada de Jacarepaguá. O bandido foi cercado por agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE).  Ao ser cercado, Darlan Alban reagiu e acabou sendo baleado e morto pela Polícia Civil carioca.

Com as prisões de seus principais parceiros  no mundo do crime, restava a Darlan fugir do Ceará ou se entregar às autoridades para começar a pagar pelos seus crimes. Preferiu a primeira opção e prometeu não se entregar. Morreria, mas antes mataria dois ou três policiais. Acabou morto sozinho na troca de tiros com a Polícia do Rio de Janeiro.

Vida de crimes

Darlan Alban entrou no mundo do tráfico de drogas e em facções criminosas  ainda jovem em Caucaia. Passou a comandar uma quadrilha ligada  à facção Comando Vermelho. Depois, decidiu montar sua própria facção para obter o domínio do tráfico de drogas em vários bairros de Caucaia, como Itambé, Padre Júlio Maria, Cigana e outras comunidades. Armou o grupo que foi batizado de Comando da Laje (CL).

A quadrilha do “Dente de Ouro”, segundo as autoridades, seria responsável por dezenas de crimes em Caucaia, incluindo os assassinatos de policiais  militares e advogados.  O bando também expulsou famílias de suas casas e até um sargento da PM teve que ir embora de lá após receber um ultimato dos bandidos e ter seu filho morto pela quadrilha de Darlan.

FIM DA LINHA