Deputados governistas derrubam requerimento e mantém votação remota da Previdência

O requerimento de autoria de Kelps Lima condicionava sua votação ao retorno dos trabalhos legislativos presenciais, mas prevaleceu a determinação da governadora Fátima Bezerra (PT). Os governista derrubaram por 13 votos a 11. A PEC segue para votação

Deputados governistas derrubam requerimento e mantém votação remota da Previdência
Crédito da foto: Reprodução/ALRN/Deputado Isolda Dantas votou a favor da votação da reforma da Previdência de forma virtual

A bancada governista na Assembleia Legislativa derrubou o requerimento do deputado Kelps Lima (Solidariedade) que solicitava o adiamento da votação da PEC da reforma Previdência dos servidores do Rio Grande do Norte. Por 13 votos a 11, os governistas mantiveram o processo de votação da reforma.

O requerimento condicionava sua votação ao retorno dos trabalhos legislativos presenciais, mas prevaleceu a determinação da governadora Fátima Bezerra (PT). A PEC será votada em dois turnos.

A deputada Isolda Dantas (PT) cumpriu a missão delegada pela governadora e trabalhou para que a reforma da previdência seja votada durante a pandemia do novo coronavírus, sem o devido debate com os servidores públicos.

Os deputados governistas argumentaram sobre o prazo estipulado pelo Governo Federal, até 31 de julho, sob pena, para o Governo do RN e dos outros Estados federativos que não fizerem sua reforma, de terem suspensos convênios e transferência de recursos. Esse prazo foi questionado pelos deputados que são contra a votação durante a pandemia.

Na discussão da matéria, o autor do requerimento, deputado Kelps Lima, afirmou que gostaria de saber qual seria a postura da então sindicalista e atual governadora, Fátima Bezerra, diante de uma votação como esta. “Qual seria a mobilização para votar um requerimento, do projeto dos mais importantes para o servidor, longe do servidor?”, questionou Kelps. O parlamentar afirmou que o governo poderia ter tentado adiar o prazo da reforma junto ao Governo Federal.

Votaram a favor da votação remota da reforma da Previdência: Isolda Dantas (PT), líder governista George Soares (PL), Francisco do PT, Eudiane Macedo (Republicanos), Souza (PSB), Vivaldo Costa (PSD), Hermano Morais (PSB), Dr. Bernardo (Avante) e Ubaldo Fernandes (PL).

Votação contra a votação remota: José Dias (PSDB), Nelter Queiroz (MDB), Gustavo Carvalho (PSDB), Coronel Azevedo (PSC), Galeno Torquato (PSD), Sandro Pimentel (PSOL), Gustavo Carvalho (PSDB), Getúlio Rêgo (DEM) e Tomba Farias (PSDB).

JORNAL DE FATO