Pai e madrasta de menina de 3 anos que morreu em Russas são presos em Natal no Rio Grande do Norte

Pai e madrasta de menina de 3 anos que morreu em Russas são presos em Natal no Rio Grande do Norte

A perícia constatou que a criança foi vítima de violência sexual, segundo a polícia. O casal havia fugido após a constatação de morte da criança. O pai e a madrasta da menina Maria Esther de 3 anos que morreu após dar entrada com vários ferimentos em um hospital de Russas, no Ceará, foram presos na noite desta quarta-feira (22), no município de Parnamirim, na Região Metropolitana de Natal, no Rio Grande do Norte. O casal estava desaparecido desde a morte da menina, na segunda-feira (20).

 

Os companheiros, Nemésio Correira Galvão Neto e Eduarda Ferreira Luiz, se apresentaram à delegacia espontaneamente, para dar suas versões do ocorrido, mas foram presos pois eram alvos de mandados de prisão preventiva expedidos pela Polícia Civil do Ceará.

 

A criança foi levada à unidade de saúde pelo casal, com diversas lesões no corpo. Após a confirmação da morte da menina, os dois sumiram e passaram a ser considerados suspeitos do crime pela polícia. Segundo a Delegacia Regional de Russas, exames realizados pela perícia forense constataram que a menina foi vítima de violência sexual. Ainda não há informações sobre quem foi o responsável pelo abuso.

 

De acordo com uma fonte polícia, que não será identificada, os dois contaram aos policiais da delegacia de Parnamirim que estavam passeando com Ester de moto, em uma rua de Russas, quando a criança caiu do veículo e acabou sendo atropelada pela moto. Eles afirmaram que fugiram por medo de sofrerem retaliações de vizinhos que achassem que os dois tinham cometido algum crime.

 

Os suspeitos foram conduzidos a uma unidade prisional e devem ser transferidos para Russas até sexta-feira (24), segundo o portal G1.

 

O caso será investigado pela Polícia Civil do Ceará. O Diário do Nordeste pediu mais informações á Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) sobre a causa da morte de Ester e a transferência dos suspeitos, e aguarda resposta para a atualização desta matéria.

 

Conforme a Delegacia de Russas, Ester morava com o pai e a companheira na cidade. Nemésio e Eduarda, natural de Rio Grande do Norte, estavam juntos há um ano.

 

FOCOELHO